logo

Jersolando

publicado em:13/05/20 11:06 AM por: admin_jerseyminas Gado Jersey

Atuo como empresário rural desde 1983 ; desde então, foram desenvolvidas várias atividades , tais como criação de cavalos campolina, plantio de hortaliças, fabricação de cachaça e finalmente pecuária leiteira; sempre com a parceria de meu cunhado e compadre, Luís Carlos. Inicialmente , atuamos na fazenda Santo Antônio do Cerrado, em Passa Tempo-MG e a partir de 2003, também na fazenda Santo Antônio do Rochedo, em Resende Costa-MG.


Dentro da atividade leiteira começamos com animais girolando e holandês P.O. Enfrentamos grandes desafios para viabilizar economicamente o empreendimento , tentando melhorar a persistência de lactação dos animais; problemas reprodutivos e de sanidade. Estes desafios nos levaram a estudar (CPT e Rehagro) o negócio e criar um projeto com bases sólidas , desenvolvimento lógico e coerente, custos viáveis e resultados satisfatórios.


Decidimos investir na Jersolando , produto do cruzamento das raças holandesa e Jersey. Chegamos a adquirir animais ditos como Jersolando de terceiros, o que foi um completo fracasso. Eram animais fruto de cruzamentos sem qualquer critério, sem registros genealógicos , baixa produção leiteira e que não permitiam planejar as gerações futuras.

Aprendida a lição, adquirimos vacas Jersey P.O. longevas , muitas delas campeãs em pista, todas registradas na Associação Brasileira dos Criadores de Gado Jersey , de planteis de criadores consagrados, tais como:
Dr. José Salvador; Anselmo Vasconcelos; Carlos Augusto Lima, Luiz Paulo Miranda e Edson Picinin (deste último, na liquidação do plantel adquirimos todo rebanho jovem , num total de mais de 60 animais).Atingimos um rebanho com mais de 150 fêmeas , aquelas que já não eram genotipadas , foram mapeadas com o Clarifide da Zoetis.

De posse dos registros genealógicos da ABCGJ e dos genomas selecionamos dentro do rebanho 25 doadoras e contratamos serviço de empresa especializada em FIV (Fertilização in Vitro).O material genético das doadoras foi fertilizado com sêmen de touro holandês P.O. gerando os animais F1, totalizando mais de 300 animais.Os animais F1 a partir de 2018, foram genotipados pela NEOGEN , produto Essential , base NEOGEN; os melhores ranqueados receberam sêmen de touro holandês P.O. (IATF) , gerando animais ¾ HO.

Em 2019, estivemos na FEAGRO , em Braço do Norte –SC e participamos do Simpósio Internacional, no qual palestrou o Dr. João Durr , CEO do CDCB (Council on Dairy Cattle Breeding).Conversando com ele ,fomos informados de que o CDCB estaria lançando genoma para animais híbridos no primeiro semestre de 2019 .Negociamos com a ST genetics um pacote de serviços e em 2019/2020 mapeamos todo rebanho novamente , agora com base CDCB.

Atualmente, os animais ¾ HO estão recebendo sêmen Jersey P.O. (IATF) e no segundo semestre e 2021 teremos animais 5/8 Je , que deverá ser o grau de sangue da raça Jersolando.

As raças Jersey e Holandesa são as duas raças leiteiras com maior controle genealógico , o que permite vasta opção de escolha nos cruzamentos. A HETEROSE (vigor hibrido) do cruzamento das duas raças produz animais com características superiores aquelas dos animais que os geraram. A ENDOGAMIA (cruzamento de animais da mesma linhagem) não ocorre quando cruzamos animais de raças distintas.

Utilizando bioestatística temos buscado animais saudáveis, boa lactação e alta capacidade reprodutiva. Nosso projeto tem como lema :
“O MELHOR DE DOIS MUNDOS”

Os animais Jersolando são registrados na ABCGJ . Já está em andamento junto ao MAPA (Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento ) processo para reconhecimento e controle da raça. O responsável é o Prof. Dr. Victor Pedrosa da Universidade Estadual de Ponta Grossa –PR.

Qualquer projeto agropecuário apoia-se em 4 pilares:

1) Infraestrutura (terra; equipamentos e construções);
2) Calendário Sanitário (Vacinações; casqueamento ;etc..);
3) Nutrição (qualidade e quantidade) ;
4) Reprodução (idade ao 1º. Parto; taxa de prenhez)

Satisfeitos estes quesitos , ainda assim o criador não terá garantido o sucesso do seu negócio se o seu rebanho não tiver uma boa GENÉTICA.
A raça Jersolando ao propiciar utilizar os avanços e recursos das duas raças leiteiras Jersey e Holandes será ,com certeza, a raça do futuro.

Escrito por CLARET RODRIGUES DA CUNHA




WhatsApp chat
Facebook
Instagram