logo

A Vaca Jersey: sinônimo de evolução e produção

publicado em:28/04/20 8:20 PM por: addesenv_wp29 Gado Jersey

De Criador para Criador

A raça Jersey tem apresentado um crescimento espetacular na américa do norte, em especial nos Estados Unidos. Particularmente, devido a revalorização na produção de sólidos, levando a grandes rebanhos de outras raças passassem a incluir a genética jersey no plantel, seja pela aquisição de matrizes “douradas” ou poracasalamentos de outras raças com touros Jersey, neste caso, especialmente na raça holandesa. Esse movimento avassalador de expansão da raça jersey, grandemente suportado pela Associação Americana deGado Jersey (AJCA), à medida que possibilitou a incorporação no sistema de registro na raça, de animais cruzados, que deram origem à inserção no nome do animal do prefixo Jx, bem como a inclusão dos colchetes,indicando o grau de pureza racial do animal. Tudo muito bem planejado e executado. O movimento foi no sentidode incorporar ao sistema de registros daquele país, cruzamentos absorventes, de forma a aumentar a base nacional de animais registrados. Naturalmente, esse movimento atendeu uma demanda do mercado, que emtermos práticos, possibilitou uma ligeira e temporalmente localizada redução na consanguinidade da raça, mas principalmente ocasionou uma aceleração na taxa de crescimento da produtividade.

A lactação média do rebanho jersey dos Estados Unidos, tendo como base as vacas nascidas no ano de 2015,ano este também usado na nova base de dados referenciais das raças leiteiras nesse país, atingiu oimpressionante valor de 9.656,07 kg, bem como valores de sólidos espetaculares 467,65 kg de gordura (4,84 %) e353,80 kg de proteína (3,66%), respectivamente 95,7 e 89,5% da produção da raça holandesa (CDCB, 2020). A produção média, por lactação, cresceu, entre os animais nascidos no ano 2000 para aqueles nascidos em 2015,em robustos 18,2%. Ainda em relação ao crescimento da raça por lá, passou-se de algo como 4-5% do rebanho leiteiro, nos anos 2000, para hoje, incluindo os diversos graus de sangue, para valores por volta de 15% do total.

Toda essa evolução das raças leiteiras, particularmente da raça jersey, teve como lastro uma robusta base de dados, com amplo controle zootécnico dos rebanhos, em seus diversos parâmetros, com extensa e continua coleta de dados de controle leiteiro e, mais recentemente, a partir de 2009, com a introdução da avaliação dagenômica, a qual tornou-se hoje a principal ferramenta para imprimir velocidade no ganho genético dos rebanhos.Essa técnica extraordinária, encurtou de forma incrível o tempo de evolução do progresso genético. Antes dessabiotecnologia, eram necessários, ao menos 5 anos, para que se obtivesse um touro provado, com filhas em produção, com uma acurácia aceitável nos dados da prova. Atualmente, no limite, ao produzir um embrião, já é possível predizer como será esse futuro animal, com acurácia por volta dos 70-73%, valor esse que deverá ser rapidamente melhorado, a julgar pela taxa acelerada do avanço dessa tecnologia. Em suma, atualmente, com o uso da ferramenta de seleção genômica, ainda muito jovem, um reprodutor já está no mercado com sêmen disponibilizado, tendo a sua prova um grau de confiança bastante aceitável. A mesma lógica vale para as fêmeas, hoje, logo após o seu nascimento, podemos coletar uma amostra e enviar para empresa credenciada e, em pouco tempo, se tem o resultado,

permitindo que, nós criadores, possamos tomar a decisão do futuro desse animal, se é compatível com nossafilosofia de produção (tipo de manejo, padrão genético, mercado de leite, etc) permanecendo ou não no plantel.

A essência de todo o processo evolutivo das raças leiteiras, em particular, na nossa jersey, tem como lastro a permanente, consistente e, cada vez mais ampla, coleta de dados, incluindo os reprodutivos, de controle leiteiro,classificaçao linear de tipo, entre outros, os quais são essenciais para consolidar e ampliar a base genômica. Sob essa ótica, é essencial que os rebanhos sejam registrados e tenham o acompanhamento zootécnico, de forma que todos os dados gerados, possam ser validados. Em suma, iremos evoluir mais e mais rápido, àmedida que conhecemos melhor o nosso rebanho e, para conhecê-lo, é preciso coletar e avaliar, cada vez mais dados, de forma que se convertam em informações relevantes para a nossa tomada de decisão.

Fernando & Alceni

Criadores em Ouro Preto-MG glaurageneticahj@gmail.com




WhatsApp chat
Facebook
Instagram