Qual é o melhor cruzamento para a raça Jersey?

Após pouco mais de um ano do lançamento do site da Associação dos Criadores de Gado Jersey de Minas Gerais, chegamos ao final do período da primeira enquete, com um resultado altamente positivo.

Foram 344 votos e a ampla maioria dos visitantes (73,55%) votou positivamente – entenda-se excelente ou bom- sobre o novo site da Jersey Minas. Outros 9,59% acharam o site regular ou votaram na categoria “Outros”. Para os 16,86% que votaram negativamente, trabalharemos ainda mais para fazer melhorias no nosso portal com a ajuda da comunidade jersista.

Com o término desta enquete, agora queremos saber qual é a opinião do nosso internauta a respeito do cruzamento da raça Jersey com outras raças. Entre as opções estão o cruzamento da raça Jersey com o gado Holandês, Gir, Girolando e Pardo-Suíço. Confira abaixo algumas impressões pesquisadas acerca destes cruzamentos:

Gado Holandês com Jersey

É inegável a superioridade da produção de leite da raça holandesa, mas é difícil, principalmente nos sistemas de produção a pasto, manter um alto grau de sangue holandês. Neste cenário, o cruzamento entre o holandês e o Jersey parece ser uma alternativa para tentar conferir um pouco de rusticidade ao rebanho. O cruzamento entre raças é uma das alternativas para melhorar vários aspectos, pois possíveis benefícios podem ser gerados pela heterose. Na Nova Zelândia, por exemplo, que maximiza o uso de pastagens como no Brasil, aproximadamente 20% do rebanho leiteiro é composto de vacas cruzadas entre Holandês e
Jersey.O produtor de leite que pretende não utilizar mais o gado Holandês na reprodução muitas vezes não o faz pela possível perda na produção de leite. Mas os dados do controle leiteiro da Nova Zelândia nos mostram que a utilização de touros da raça Jersey parece ser bastante segura.

Gado Gir com Jersey

O cruzamento é interessante, principalmente para o pequeno produtor, já que o gado Jersey é um animal de menor porte e que teoricamente apresenta maior qualidade do leite. As raças zebuínas leiteiras, entre elas o Gir, também se destacam-se pela quantidade de sólidos produzidos de leite. E, entre as raças europeias especializadas, a mais conhecida pela produção de sólidos é a Jersey. Com este cruzamento a tendência é juntar essas características, potencializando a produção de leite com qualidade num animal de um porte um pouco menor, o que facilita o trabalho em sistema de pastejo. Desta forma, também se consegue um número maior de animais por unidade área, o que leva à possibilidade de se produzir mais leite na mesma localidade.

Raça Pardo-Suíço com Jersey

Pesquisas sobre o cruzamento entre as raças Jersey e Pardo-Suíço não são comuns, mas há diversos relatos de criadores atestando a qualidade desta miscigenação destes tipos de animais.

Gado Girolando com Jersey

Entre as principais características deste cruzamento estão o aumento na produção de leite por vaca e da persistência de lactação, aceitação de ordenha sem a presença do bezerro, boa correção dos úberes já na primeira geração, animais com peso um pouco reduzido em relação as vacas “Girolandas”, menor consumo de alimentos para manutenção corporal das F1, facilidade de parto, aumento no teor de sólidos do leite, maior docilidade dos animais F1, mais precocidade sexual nas femeas F1, melhores taxas de retorno ao cio nas fêmeas F1 após o parto, possibilidade de criação das bezerras apartadas e descarte dos machos, facilidade de implementação da segunda ordenha (com aumento de produção média e total) são os benefícios citados por alguns criadores a respeito deste cruzamento, sendo assim, um dos melhores cruzamentos para quem visa a produção de leite a baixo custo.

Texto: Murilo Lisboa

Tags:, , , , , , , ,